8 de jun de 2012
“Eu que sempre quis tanto, sempre pedi tanto, hoje só peço cinco minutos ao teu lado.”



Você quer paz, ficar sozinho. Eu quero companheirismo, passar um dia agarrados. Você pede que eu feche os olhos e te entenda, mas não posso compreender problemas e sentimentos que você não me deixa ver. Não dá pra simplesmente esquecer de mim. De nós.

Eu sinto falta de quando éramos nós dois e o mundo lá fora, quando era só ficarmos juntos e os problemas sumiam. Quando nossos problemas e alegrias eram as mesmas, as alegrias multiplicadas e todos os problemas divididos. Queria poder te oferecer esse abrigo agora. Mas parece é que eu estou me tornando mais uma preocupação na sua lista.

É como se tivesse alguma coisa no meio de nós, nos fazendo viver vidas separadas. Como se um fosse apenas um detalhe pro outro, ao invés de uma parte.

Lembra quando nós brincávamos que tínhamos vida de casados e riamos disso? Hoje você disse que nós dois parecíamos casados. Mas não de um jeito bom. Como se isso agora fosse um peso pra você. Não sei que fase é essa que nós estamos passando, onde cada um quer uma coisa diferente, e sem nunca se abrir pro outro.

Que isso passe logo. E que pelo menos um desejo seu seja o mesmo que o meu: ficar junto e só.

0 comentários:

Postar um comentário