Vamos lá

26 de out de 2015
Já faz bastante tempo que não posto aqui, mais tempo ainda que não venho simplesmente fazer um desabafo, e acho que isso aconteceu porque eu passei muito tempo no "piloto automático". 

Nos últimos meses a vida deu uma sacolejada (alguém ainda fala assim?), não só a minha, mas de todos os mais próximos, mas só parei pra pensar em mim nas últimas semanas. Tenho ficado bastante tempo sozinha e só agora reparei o quanto eu me deixei de lado em função dos outros, e finalmente, desencanei de muita coisa.

Hoje por exemplo, tive um dia de folga no estágio, isso significa uma tarde inteira livre. Em outros tempos eu estaria louca adiantando todos os projetos possíveis da faculdade, organizando meu quarto e garantindo que minhas unhas e aparência ficassem impecáveis. Mas a realidade foi que depois de um belo cochilo eu apenas mergulhei em uma maratona de série - estou assistindo The Flash agora. Deveria estar preocupada com os prazos? Deveria ter lavado o meu cabelo? Sem dúvidas, eu deveria. Mas é ótima a sensação de passar um dia inteirinho atoa. Ainda tem tempo de sobra pra começar o projeto amanhã, e eu posso lavar o cabelo antes de sair.

Teve uma sexta-feira também, que eu deveria ter saído com as meninas da faculdade para beber em qualquer barzinho que tivesse música ao vivo, mas resolvi ficar em casa, fazer um daqueles dias de beleza, com máscaras faciais, cremes no cabelo e tudo mais. Teve música brega e esmalte vermelho também.

Depois de muito tempo, ocupada demais, sem tempo demais, me dividindo em mil para agradar a todo mundo eu finalmente desencanei. Dos trabalhos, dos prazos, dos outros e até um pouco de mim. Não tenho por que ficar nervosa, nem me sentir culpada. To curtindo o tempo, decidindo o que vale a pena fazer hoje ou amanhã, sem precisar arrancar minhas sobrancelhas ou ficar noites sem conseguir dormir. As prioridades continuam as mesmas, o que mudou foi a forma que eu encaro elas.

Me sinto no controle de novo, e embora a falta de rotina me assuste um pouco, eu estou aproveitando. Um dia de cada vez, uma vontade de cada vez e um problema por vez.

Melhor apertar os cintos

0 comentários:

Postar um comentário