Armário-cápsula ou Armário-livre?

2 de abr de 2016

Todos prontos para uma bela história?

No ano passado conheci o conceito de armário cápsula pelo blog da Gabi, e lembro que meu único pensamento era "que loucura, meu sonho é ter um closet enorme cheio de coisas". Eu estava em uma fase de compras, não podia ver nada baratinho que já sacava o cartão de crédito.

Esqueci.

Um dia enquanto me arrumava pensei "não tenho nada que eu queira vestir", e percebi que todas aquelas compras eram bem inúteis, algumas - a maioria - tinham baixíssima qualidade e outras eu nem usava, porque sabia que não me vestiam bem. Tudo aquilo só serviu pra lotar meu guarda roupas e me encher de dívidas.

Em dezembro me deparei com a imagem resumo do projeto da Gabi no pinterest, resolvi voltar no blog dela e reler todos os posts sobre o assunto. E fez sentido pra mim. A motivação, os argumentos, aquilo se encaixou perfeitamente no que eu sentia, e principalmente, no que eu precisava. Eu tinha tentar aquilo! Ao mesmo tempo começaram a surgir varias outras meninas aderindo o movimento, e me vi rodeada de textos sobre consumo consciente e o melhor uso das roupas.
Não é engraçado como a gente muda em tão pouco tempo? Não que eu não queira mais ter um closet do tamanho do meu quarto, desde que eu ame tudo que estiver ali, desde que eu realmente consiga usar tudo que tenho.

A ideia do Armário cápsula é basicamente definir um número "x" de roupas (um número que te deixe confortável) e usar durante um intervalo de tempo, mas se você quiser saber mais sobre o assunto clica aqui.

Aproveitei a motivação "Ano Novo = Vida Nova" pra fazer uma limpa daquelas. Tirei tudo do guarda roupas e comecei a separar o que não usei durante o ano(s) para doação, algumas peças que precisam de reparo e as que iriam ficar durante a estação.

Pendurei apenas o que eu achei que era essencial para usar durante esses três meses. Nem contei as peças, coloquei uma em cada cabide e até sobraram alguns vazios. O restante das roupas - que não eram da estação ou que eu não tive coragem de desapegar - ficaram embaladas na última gaveta esperando a vez delas chegar.

E agora, depois de três meses vendo só o que eu realmente uso, me surpreendi com o saldo positivo, apesar de ter ficado um bom tempo de férias do trabalho e da faculdade, as peças que escolhi foram suficientes e cumpriram bem o papel. Mas de dezembro pra cá muita coisa mudou.

Descobri finalmente o que eu gosto, o que me veste melhor e o que eu quero vestir. Percebi que vinha acumulando um monte de roupas só porque queria ter coisas. E que ninguém que more no Rio de Janeiro precisa de tantos casacos e blazers.

O outono já começou, e ainda não tive tempo de resgatar meus pacotes de roupas, mas já sei que para essa estação preciso me organizar melhor, ganhei roupas que quero usar logo, senti falta de algumas coisas e outras já estão pedindo para se aposentar.

Mas isso é assunto pra outro post.
Less is more ou Less is a bore?

0 comentários:

Postar um comentário